𝖂𝖎ƙ𝖎𝖊

Reino de Aragão



Reino d'Aragón
Regne d'Aragó

Reino de Aragão
Blason Royaume d'Aragon ancien.svg
1035 – 1707 Flag of Aragon.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Aragão
Continente Europa
Capital Saragoça
Língua oficial latim, aragonês, navarro-aragonês, castelhano
Governo Monarquia
Rei
 • 1035 — 1063 Ramiro Sánchez
História
 • 13 de novembro de 1035 Fundação
 • 25 de janeiro de 1707 de 1035 Dissolução
Petronila de Aragão, e Raimundo Berengário IV de Barcelona numa pintura do século XII. À esquerda pode ver-se a Predefinição:Ilc, brasão heráldico do Reino de Aragão, e à direita o brasão do conde de Barcelona

O Reino de Aragão (em aragonês: Reino d'Aragón) foi um dos reinos cristão que nasceram na Península Ibérica durante a Reconquista. Era, inicialmente, um condado dos Francos que foi posteriormente anexado ao Reino de Pamplona (mais tarde designado Reino de Navarra), em 925. Foi herdado por Ramiro Sánchez pela repartição dos territórios de Predefinição:Lknb pelos seus filhos, antes de morrer. Separou-se de Navarra em 1035, dando origem ao reino através da união dos condados de Aragão, Sobrarbe e Ribagorza sob o comando de Ramiro Sánchez. Expandiu-se para o sul, conquistando Saragoça em 1118.

Coroa de Aragão

Ver artigo principal: Coroa de Aragão

Em Agosto de 1137 o rei Predefinição:Lknb entrega a sua filha Petronila, com cerca de um ano de idade a Predefinição:Lknb, conde de Barcelona, com um contrato indicando o seguinte:[1]

Eu, Ramiro, Rei de Aragão, dou-te a ti, Raimundo Berengário, Conde de Barcelona e Marquês, a minha filha para tua mulher, juntamente com todo o Reino de Aragão, integralmente (...)".

Com este ato juntam-se dinasticamente o Reino de Aragão e os diversos territórios administrados pelo conde de Barcelona, sumamente apelidados de Condado de Barcelona. A dinastia da Casa de Barcelona, fundada por Raimundo neste ato, será consolidada pelo filho do casamento com Petronila. A Casa de Barcelona reinará até maio de 1410, aquando da morte de Predefinição:Lknb sem descendência.

O último rei aragonês da Coroa de Aragão foi Predefinição:Lknb, que reinou de 1479 a 1516. Mediante seu casamento com Isabel de Castela, unificou os reinos de Aragão e Castela em forma de confederação, no que se passou a chamar Monarquia Espanhola. Fernando e Isabel, conhecidos como os Reis Católicos tiveram papel importante na história das conquistas espanholas na América por terem financiado a primeira viagem de Cristóvão Colombo em que, viajando para o oeste, resultou na descoberta das Américas.

Os domínios da Coroa de Aragão mantiveram-se soberanos, com fronteiras estabelecidas e instituições de autogoverno próprias até 1707, quando Felipe IV (V de Castela), depois da Guerra da Sucessão aprovou os Decretos do Novo Plano; a partir daí, a Coroa de Aragão passou definitivamente a fazer parte do Reino de Espanha. Partes significativas do antigo reino integram hoje as comunidades autónomas de Aragão, Valência, Catalunha e Baleares.

Ver também

Referências

  1. Salrach, Josep M. - Història de Catalunya: El procès de Feudalitazció, segles III-XII. Barcelona: Ed. 62, 1987
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre o Reino de Aragão

Predefinição:Esboço-históriaes

talvez você goste